NOTÍCIAS

História da Charneca da Caparica

A Charneca da Caparica é uma das 11 freguesias do concelho de Almada e foi criada no dia 4 de Outubro de 1985.

É a maior freguesia do concelho e uma das mais populosas, ocupando, com os seus 252 ha, cerca de 35% da área do concelho.

 

Em 1897 a Charneca da Caparica era referida como a povoação mais importante da Freguesia de Caparica, tanto em comércio como em população, com cerca de 530 fogos.

 

Após mais de 100 anos, a Charneca da Caparica é uma realidade bem diferente, com largos milhares de fogos, com uma população permanente de mais 30.000 habitantes e mais de 15.000 sazonais.

 

Fica situada próxima de Lisboa (15 km), das praias da Costa da Caparica (2 km).

 

Para além da enorme área urbana constitui património inestimável desta freguesia a Área protegida da Arriba Fóssil e a Mata Nacional dos Medos.

 

A Charneca da Caparica devido às suas origens de características rurais e pouco povoada, constituida por pinhais, matos, silvados e areais, acomodada para caçadas de montaria, não é rica em monumentos e factos históricos, parte dos quais se integram na história da Freguesia da Caparica de que a Charneca fazia parte.

 

A referência histórica mais antiga sobre a Charneca da Caparica respeita ao Convento da Cela Nova, mais tarde chamado de Nossa Senhora da Rosa.

 

Outra referência importante é a Quinta de Vale de Rosal, onde foi erguido em 1659 um cruzeiro em memória do Padre Inácio de Azevedo e outros mártires. Existem diversas referências ao vinho de Vale de Rosal, pela sua boa qualidade.

 

São ainda importantes: A Quinta de Cima, do século XVIII, Quinta da Regateira e a Ermida do Bom Jesus, Quinta de Monserate ou Palácio do Sola. Actualmente o Palácio encontra-se abandonado e parcialmente em ruína. Antigamente, neste Palácio, fizeram-se grandes espectáculos de teatro com os grandes actores Vasco Morgado e Laura Alves.

 

Na área da freguesia e proximidades, existem algumas manchas florestais relevantes, como a Mata dos Medos, Pinhal da Aroeira, Pinhal do Rei e Pinhal do Inglês, alguns incluídos nas Matas Nacionais e constituídos por comunidades semi-naturais de pinheiro bravo (pinus pinaster) , com sub-bosque abundante em algumas zonas, e por uma extensa mancha de pinheiro manso (pinus pinea), considerada a maior da Peninsula ibérica.

 

As áreas de matos ocupam substracto arenoso, exercendo um papel importante na estabilidade das terras junto à arriba que limita a Freguesia pelo poente.

 

Na área da Freguesia encontram-se referenciadas 85 espécies de aves, pertencentes a 9 famílias, registando-se a presença acidental de espécies como o corvo-marinho de crista, a garça pequena e a cegonha. Seis das espécies referenciadas apresentam estatuto de ameaça, salientando-se rapinas como a águia de Bonelli, o peneireiro das torres e o bufo real.

 

Nos termos de uma Directiva Comunitária, algumas das espécies de aves implicam a classificação do território como zona de protecção especial.

 

Do ponto de vista cinegético menciona-se a existência da perdiz vermelha, da codorniz, da rola, do pombo torcaz e da tordoveia.

 

Encontram-se também recenseadas treze espécies de mamíferos, geralmente de pequeno porte, tendo o morcego de peluche estatuto de vulnerável. Em termos cinegéticos, regista-se o coelho e a raposa.

 

A Área de Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica ocupa parte do território da Freguesia, tendo sido criada pelo decreto-lei nº 168/84, de 22 de Maio, com a finalidade de preservar as características geomorfológicas e paleontológicas, bem como as comunidades existentes na zona.

 

Esta arriba estende-se ao longo do litoral da Península de Setúbal, desde as imediações da Costa da Caparica até perto da margem norte da Lagoa de Albufeira. No seu interior e em áreas contíguas à arriba, situam-se os pinhais da Aroeira e dos Medos, que fazem parte da Freguesia da Charneca da Caparica, estando este último incluído nas Matas Nacionais e sendo considerado como Reserva Botânica. A espécie predominante é o pinheiro manso (pinus pinea) com alguma mistura de pinheiro bravo (pinus pinaster), dispondo de um estrato arbustivo rico e de grande valor florístico.

JAN 17

Publicada por Top House